Dom Walmor participa do plantio do jardim de Jequitibás  no Recanto Monsenhor Domingos

Dom Walmor participa do plantio do jardim de Jequitibás no Recanto Monsenhor Domingos

Em homenagem ao centenário da Arquidiocese de Belo Horizonte, a Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade iniciou o plantio do Jardim dos Jequitibás no Recanto Monsenhor Domingos. Dom Walmor Oliveira de Azevedo,  Arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferênca Nacional dos Bispos do Brasil,  sob a intercessão do Servo de Deus Domingos Evangelista Pinheiro, plantou junto com as religiosas  da Congregação, as mudas que simbolizam as 12 irmãs cofundadoras da CIANSP. 

A árvore nativa da Mata Atlântica, conhecida como o gigante da floresta, é símbolo da vida. Na natureza, ela evita a falta de chuva e contribui com matéria orgânica para o solo.  Além disso, possibilita práticas de ecoturismo, como arvorismo, e educação ambiental.

Que Deus abençoe a missão de evangelização das Irmãs da Piedade e conduza com sabedoria e fé os passos da Arquidiocese de BH!

 

CIANSP Notícias: Reportagem destaca citação de Dom Pedro II sobre Monsenhor Domingos

CIANSP Notícias: Reportagem destaca citação de Dom Pedro II sobre Monsenhor Domingos

Na 4ª edição do CIANSP Notícias, o jornal traz uma reportagem especial sobre os 178 anos de Monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro, com algumas passagens de sua história, relatos de estudantes e professores da Rede Piedade, e ainda trechos de uma carta escrita por Dom Pedro II, na qual o à época Imperador cita o trabalho do fundador da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade.

Além disso, o informativo conta com a coluna afro-brasileira, da pedagoga Marinete da Silva Morais, abordando a temática “Pandemia e negritude”, um texto escrito por uma aluna do Ensino Médio para o Dia do Amigo e reflexões de vida com a psicóloga e professora Betânia Diniz Gonçalves.

O informativo da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, organizado por Irmã Juliana Pereira dos Santos, idealizado por Madre Teresa Cristina Leite e assessorado pela Zele Comunicação, tem periodicidade mensal e representa um elo de comunicação entre as religiosas e os públicos impactados pela Congregação.

Com o objetivo de disseminar ao máximo as notícias da CIANSP, o informativo é criado em formato PDF e é livre para download e pode ser repassado por meio de WhatsApp, e-mail etc.

Clique aqui e faça download do seu exemplar digital!

Padre Júlio Lancellotti dá lições sobre valores cristãos no Programa Mais Vida da Rede Piedade de Educação

Padre Júlio Lancellotti dá lições sobre valores cristãos no Programa Mais Vida da Rede Piedade de Educação

Em uma noite especial, a Rede Piedade de Educação trouxe, para mais uma edição de seu Programa Mais Vida, Padre Júlio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo e uma personalidade muito presente no atual contexto pandêmico por meio de suas inúmeras práticas solidárias nas ruas. Junto com o Padre, estiveram a Madre Superiora da Congregação, Teresa Cristina Leite e a diretora educacional da Rede Piedade, Irmã Márcia Santiago, que conduziram o programa apresentado pelo relações-públicas, José Alessandro.

Padre Júlio Lancellotti foi recentemente laureado com o Prêmio Zilda Arns de Direitos Humanos. O prêmio consiste em um diploma de menção honrosa concedido anualmente a cinco homenageados que se destacam ativamente na defesa dos direitos das pessoas idosas.

Madre Teresa Cristina Leite abriu a live com a pergunta: “Houve algo que lhe inspirou, lhe moveu neste sentido de despertar vocacional? ”.

“A vocação é uma construção, nunca é uma resposta pronta, vamos completando com a vida, ainda estou respondendo. Na vida religiosa, assim como no casamento, na educação, ninguém pode dizer que já é suficiente. Ela é uma das respostas ao amor de Deus. Assim como, especificamente na pandemia, os profissionais de saúde estão respondendo com suas pesquisas atenção e dedicação diária.
Desde a infância a vida da paróquia me encanta. Meus pais eram religiosos, mas nunca me influenciaram. Entrei para o seminário na adolescência, saí, voltei, fui convidado a sair de novo. O exemplo de figuras como Dom Luciano Mendes e Dom Paulo Evaristo Arns foram influências inspiradoras. Não posso dizer que estou acabado, construo muitas respostas todos os dias sobre ser uma igreja compassiva e religiosa inspirada no testemunho do Papa Francisco, de Dom Helder Câmara, de Santa Dulce, Nhá Chica, Padre Vitor e tantos outros atentos a ter um comportamento ao amor de Deus que sempre nos leva a servir”, respondeu o Padre Júlio.

Após, a Irmã Márcia Santiago questionou: “O senhor imagina como será o seu legado daqui alguns anos? O que o senhor espera, anseia? O senhor vislumbra que as ações que protagoniza junto aos mais necessitados possam repercutir e gerar novos frutos, novas ações? ”.

“Um grande sinal da evangelização é o testemunho do Papa Bento XVI, que disse na abertura da Conferência Latino Americana em Aparecida que a evangelização se dá por atração, e não para o proselitismo. É importante a explicitação da fé, mas é mais importante o testemunho da bondade. A compaixão, a solidariedade e a misericórdia não são da dimensão religiosa, mas da humana. Temos que vivenciar a humanização da vida. Dalai Lama, quando questionado sobre qual seria a melhor religião, surpreendeu respondendo que é aquela que te faz mais humano. O grande legado é o segmento de Jesus, que se dá de muitas maneiras em diferentes momentos históricos e conjunturas sociais e políticas. Jesus não pode ser seguido no fundamentalismo, na alienação, no individualismo e subjetivismo exacerbado, por isso, não tenhamos medo de ir contra a corrente. Assim como Dom Pedro Casaldáliga e Dom Hélder Câmara mostraram, o grande caminho para o cristão é seguir Jesus, não é uma questão pessoal, é humanitária”, enfatizou o Padre.

A Dona Iara Braga, voluntária do Espaço Irmã Benigna de Voluntariado, foi uma das convidadas para participar do encontro. Inspirada pela passagem bíblica, no capítulo 10 do livro de Marcos, versículos 17 e 18, ela indagou: “Deus é nossa referência maior de bondade suprema. O senhor poderia deixar algumas palavras que nos inspirem nesta busca constante em ser bom, em ser do bem? ”.

“O livro Deus é Bom, de Bill Jhonson, fala bem sobre isso. Não somos nós que vamos a Deus, Deus é que até nós. No Evangelho de João, sempre que o Jesus ressuscitado se manifesta ele está no meio. A Geometria nos ensina que o ponto do meio é equidistante de todos os outros pontos. Nenhum de nós está perto de Deus, Ele é que está perto de nós. Deus não está acima de todos, está no meio de nós, este é Seu lugar. Estando no nosso meio, nos contagia com sua bondade. E como Deus nos ama? João nos diz que tendo Ele amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim, isto é, até às últimas consequências. É na bondade de Jesus que vemos Deus. Jesus não julgou, não rejeitou, não afastou, não moralizou. Impediu que uma mulher fosse apedrejada sem uso de força ou armas, mas chamando à consciência e à responsabilidade. Multiplicou o pão para os famintos ensinando a solidariedade e a partilha. Nesse momento histórico de tantos desafios, aumento de fome, desemprego, cada vez mais pessoas vivendo nas ruas, crianças abandonadas, quilombolas e indígenas sofrendo ataques, temos que lutar contra o preconceito, o racismo, a homofobia. A bondade não pode ser uma ideia, ela tem quer ser uma experiência. Momentos de tantas incertezas e dificuldades instalam a desordem que vemos com pessoas humanizando animais e animalizando humanos. Gosto muito de bichos e plantas. Me passa horror ver uma planta morrer de sede. Mas o vaso não pode ser a gaiola da planta, todos os seres vivos merecem viver em liberdade. Em tudo, é preciso equilíbrio”, disse o Padre Júlio.

Também voluntária do Espaço Irmã Benigna, Ana Montebello perguntou: “O senhor percebe esta rede do bem crescendo dia a dia? ”

“O egoísmo e a bondade vão sempre viver em nós. Celebrando uma missa em uma favela, eu pregava sobre partilha e solidariedade. Um menino vestindo roupas rasgadas e seu cão puseram-se ao meu lado. Num momento ele saiu, e depois reapareceu, sempre seguido pelo cachorro. Quando voltou, me apresentou um pequeno saco contendo um pouquinho de arroz. Falei para as irmãs procurarem pelo barraco em que ele vivia, porque sua situação me fez crer que a família passava por dificuldades. Quando procurada, sua mãe pediu desculpas e disse que ela só tinha uma xícara de arroz e que, ainda assim, ele insistiu em levar a metade porque o padre ensinou que temos que partilhar. Isso tem mais de 30 anos e eu nunca esqueci. A bondade é maior do que a maldade, a questão é que a maldade muitas vezes é exercida a partir do poder. Os bons nem sempre tem o poder, mas tem a coragem de partilhar. Quando recebo críticas ao meu trabalho na cracolândia digo que até os prisioneiros de guerra têm direito de comer e beber. Jesus ensinou a partilha pelo grande milagre da multiplicação. Doar não é passar para frente o que é velho ou não te serve mais, mas dar doar o que você também precisa. Um garotinho perguntou à sua mãe se era para dar tudo o que era velho e, diante da resposta positiva, questionou: e o que faremos com a vovó? ”, contou o Padre.

A Irmã Rosemeire, do Lar Augusto Silva, mostrou um vídeo apresentando o trabalho do espaço, que atende idosos, e perguntou: “Como o senhor percebe a importância de alimentarmos também a mente, o coração, a alma de nossos irmãos? ”

“Esta pergunta já traz a resposta. A partilha não é só dar o alimento. É importante olhar nos olhos, perguntar o nome. Os idosos foram muito afetados pela pandemia. Muitos ficaram com sofrimento mental sem poder ver filhos, netos e bisnetos, muitos tiveram membros novos na família que não puderam conhecer até hoje. A história dos idosos tem que ser respeitada. Os jovens devem visitar, acolher com palavras de afeto e atenção, ter carinho. Muitos idosos estão esquecidos e até mesmo doentes. Merecem um cartão, uma flor, um carinho. Isso alimenta tanto quanto o pão concreto. Assim como Jesus nos alimenta, sejamos também alimento para os idosos”, reforçou o Padre Júlio.

A graça, alegria e a solidariedade das gêmeas Kiara e Yasmim, alunas do INSP Flamengo, fecharam com chave de ouro essa verdadeira aula de solidariedade. Por iniciativa própria, elas produziram e venderam doces e reverteram o lucro em alimentos para serem doados. Ambas leram um texto para Padre Júlio e perguntaram: “O que lhe inspira a ter tanta atitude e iniciativa? Fale um pouco para nós sobre a importância de nos colocarmos no lugar do outro e também doarmos olhares, escutas e falas”.

“A inspiração vem do ensinamento dessas crianças tão pequeninas e simples, tão corajosas e solidárias, isso nos faz também ter coragem de estarmos sempre disponíveis e preparados para fazer o bem. Vocês são um grande exemplo para todos nós que nos faz caminhar e não desistir nunca. Muito obrigado, meninas, que Deus abençoe, proteja e guarde sempre”, encerrou Padre Júlio Lancellotti.

 

Perdeu a live? Não tem problema! Clique abaixo e assista quantas vezes quiser!

Irmãs da Piedade criam canal de podcast vocacional no Spotfy

Irmãs da Piedade criam canal de podcast vocacional no Spotfy

Quem pensa que o Spotify é apenas uma forma de lazer está enganado. A CIANSP está usando a plataforma para auxiliar sua Pastoral Vocacional a oferecer elementos que ajudem os jovens a entender, identificar e vivenciar sua vocação específica, e nela buscar a santidade. 

Com uma linguagem simplificada, os podcasts, protagonizados pela Irmã Jéssica Luana, esclarecem sobre santidade, o chamado de Deus à vida cristã, dedicada à oração, caridade e acolhimento. “É comum os jovens acharem que o chamado para a vida religiosa envolve apenas sacrifício. Ao contrário, ela é repleta de realizações, liberdade e felicidade, cada escolha tem suas belezas e desafios”, explica a jovem religiosa.

Além dos podcasts, existe, no site da congregação (www.ciansp.com.br), a página  Pastoral Vocacional e um canal direto, via Whatsapp (21 98901-8316), para acolher, esclarecer dúvidas e ajudar os jovens a discernir sobre sua vocação.

CIANSP celebra Primeira Profissão Religiosa de duas novas irmãs

CIANSP celebra Primeira Profissão Religiosa de duas novas irmãs

Situada no berço da congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, a Capela São Luís, no Recanto Monsenhor Domingos, aos pés da a serra da Piedade, foi palco para a Primeira Profissão Religiosa das noviças Irmã Gelmira Conceição Evaristo e Irmã Elizabeth Zacarias Leão e uma emocionante celebração eucarística celebrada por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte

O bispo falou da experiência transformadora que é a vida consagrada e da responsabilidade que as irmãs assumem de viver em permanente diálogo com Cristo para entender Seus projetos e aproximar as pessoas. “Em uma época marcada pelas polarizações e desentendimentos, precisamos cultivar o diálogo”, disse ele.

A Madre Superiora da CIANSP, Teresa Cristina Leite, entregou às noviças a medalha da congregação. “Essas jovens ouviram o chamado do Divino Mestre e hoje dão suas respostas totais e generosas pelos votos de castidade, pobreza e obediência, na fé de Jesus Cristo e no ideal de Monsenhor Domingos”, afirmou Madre Teresa.

Por fim, Irmã Gelmira e Irmã Elizabeth foram ao altar, uma de cada vez, darem suas palavras de gratidão, esperança e alegria por fazerem parte do caminho missionário da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade.

A cerimônia, realizada seguindo os protocolos vigentes de segurança sanitária, foi a primeira transmissão ao vivo do canal Vocacional CIANSP, no Youtube, um dos veículos criados pela congregação para ajudar jovens a entender, identificar e vivenciar sua vocação específica e nela buscar a santidade.  Além dele, existem ainda uma série de podcasts no Spotify e a página Pastoral Vocacional, no site www.ciansp.com.br. 

Reveja como foi: 

 

 

 

 

 

Missão na África é destaque no CIANSP Notícias

Missão na África é destaque no CIANSP Notícias

Em outubro, a 7ª edição do CIANSP Notícias, o informativo da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Piedade, teve como destaque a missão das religiosas na África. Em uma celebração especial, Dom Walmor, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, destacou a iniciativa do envio das Irmãs Aparecida, Joana e Jéssica em missão a Angola.

O informativo também dá detalhes sobre a Celebração do 40° Aniversário de falecimento da Serva de Deus Irmã Benigna Víctima de Jesus quando foi apresentada a público a primeira imagem tridimensional da religiosa, atualmente, em processo de Beatificação junto ao Vaticano.

Ecologia e os espaços no Recanto Monsenhor Domingos, a incrível missão de educar dos professores e uma matéria sobre o que torna nossa casa um verdadeiro lar, escrita pela Doutora em Psicologia, Betânia Diniz Gonçalves, são outros destaques do CIANSP Notícias de outubro.

Clique aqui e faça download!

 

 

WordPress Lightbox Plugin